História

A Fundação Pauleta foi constituída em 16 de agosto de 2006, tendo como objetivo o apoio ao fomento e ao desenvolvimento do desporto, não esquecendo o fim social a que se dedica. Esta Fundação não depende de apoios estatais, mas sim da sua gestão diários.
A Escola de Futebol Pauleta é a génese da Fundação. Desde maio de 2010 que a Associação Clube de Futebol Pauleta integra também a Fundação.
Apesar de a Escola ser a face mais visível, as ações de solidariedade têm caracterizado a atividade da Fundação. Cinco anos antes da constituição, estava Pauleta a jogar no Bordeús, nasceu a ideia de proporcionar aos utentes de instituições da ilha de São Miguel um natal diferente. Nos primeiros anos foram contemplados o Lar da Mãe de Deus, o Instituto do Bom Pastor e a Pediatria do Hospital de Ponta Delgada.
Assim continuou nos anos seguintes, alargando as ofertas a outras valências, como a Associação dos Pais e Amigos de Crianças Deficientes do Arquipélago dos Açores, que ainda hoje se mantém.
As crianças/alunos da Escola de Futebol têm acompanhado Pauleta na distribuição das ofertas, de forma a ficarem sensibilizadas de que vida não sorri a todas da mesma forma.
A partir de 2006, todas as ações passaram a ter a chancela da Fundação Pauleta. Aumentaram os pedidos. A solidariedade social e famílias de todos os concelhos da ilha de São Miguel. Desde 2008 foram alargadas a outras ilhas da Região. Já foram visitadas todas as ilhas, exceção da ilha do Corvo. São cerca de 100 as ações ao longo de 13 anos, englobando as realizadas ainda a título individual e, posteriormente, associadas à Escola e à Fundação.
Destacam-se a ajuda, em 2007, ao pequeno Jaime, de Água de Pau, proporcionando uma ida a Boston, e o apoio, em 2011, às famílias da Fajãzinha, da ilha das Flores, desalojadas devido ao desmoronamento de terras face ao volume de pluviosidade.
Há jovens da Casa do Gaiato, do Lar da Mãe de Deus, Associação de Solidariedade Social e Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada a frequentarem a Escola; há apoios para um jovem da Obra do Padre Américo ter a possibilidade de frequentar, em Bragança, o ensino superior.
Tem sido norma da Fundação pedir às instituições a relação das lacunas existentes. Assim têm sido entregues eletrodomésticos, aparelhos de reabilitação, material informático, brinquedos, vestuário, aparelhagem médica e outros utensílios úteis para o dia a dia.
O divertimento tem sido outra das ações. Destaque para a ida, em Dezembro de 2013, ao circo de cerca de 750 crianças, praticantes da Escola/Clube e jovens e adultos de instituições de solidariedade social.